Encomenta Expressa

Poema em Post 1 comentário »
Florianópolis, 07 de junho de 2012

Ontem tu ligaste dizendo que me amavas realmente, finalmente, e que não podias aguentar mais essa lembrança, essa distância que nos tratamos e ficamos nos últimos meses. Disse-me que não conseguirias ficar mais, nem mais um minuto sem sentir meus lábios e meu corpo.
E eu me arrepiando toda…

Disse que meu suor era doce, que a lembrança de meus seios pontudos fazia-te tesudo e que a minha tez era de veludo. Gritou até o quanto precisava me ver, urgentemente, me ter, vagarosamente, me tocar, me olhar e mais que simplesmente, me amar.

Pois é, e lá fui eu, novamente, ansiosa esperava o ônibus passar. Devia não ter me exitado e te mandado à merda ou a todos aqueles lugares que você, um dia, me mandou. Eu sabia, conhecia a cena que já decorei e aconteceu: entrar, olhar, despir-me, submeter-me, entregar-me, foder-me. Dormir. Acordar, procurar, não achar, chorar, agredir-me, deprimir-me e sonhar que no outro dia, irias, haha, me procurar.

Eu já aprendi. Tu só ligas quando estás bêbado!
Pois bem. Nesta caixa você encontrará 6 garrafas do melhor whisky que consegui comprar e um cartão com créditos de telefone celular. Te espero na quinta. Com amor, da sempre tua.
1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (Votos: 1, média: 5.00 )
Loading ... Loading ...
Designed by NattyWP Wordpress Themes.
Images by desEXign.