Santa Teresinha, Santa

Poema em Post Add comments

Teresinha tinha tanto tempo na sua vida que parava a toda hora para se preocupar,… com a vida dos outros. Quem me dera ter esse tempo, mesmo que só para pensar.
Ela era amiga, a melhor amiga, e de todos. Desdobrava-se, cancelava seus próprios compromissos, passava noites em claro só para ouvir lamúrias de seus conhecidos. Que alma boa: filtrava os maus agouros, negava as más línguas, revirava a má intenção e ia contra qualquer maré para protege-los.

Isso é certo não sei, mas é claro que infindáveis vezes se arrependera, apunhalada pelas costas ou pela frente. E ai que coceira na orelha! Estavam falando dela, é claro.

E chegou sua vez de estar mal. Perdera o emprego por faltar demais, e o marido e a guarda dos filhos por uma maternidade despreocupada. E agora estava sozinha. Eu te falei Teresinha!

Dos seus amigos, metade a negou por 3 vezes naquela noite, outros tantos a conheciam mas diziam não serem íntimos o suficiente e alguns outros não tinham tempo para ajudá-la, pois haviam marcado compromissos. Tinham até aqueles que nunca gostaram dela mesmo, e para eles Terezinha nem ligara, mas um deles, ah, o Ivan, virara diretor executivo da Sul América. Perfeito! Vá pedir ajuda!

Mas infelizmente Ivan não pode ajudar. Ele não vende seguros para desempregados.




One Response to “Santa Teresinha, Santa”

  1. Nina Atenção:

    Há molas escondidas no fundo do poço.
    Teresinha está aprendendo.

Leave a Reply

Designed by NattyWP Wordpress Themes.
Images by desEXign.